34 milhões de euros: Sócrates é herdeiro de fortuna descoberta na Suíça

Um documento encontrado num cofre na Suíça, confirma que José Paulo Pinto de Sousa, primo de Sócrates e seu fiduciário, é herdeiro de Carlos Santos Silva, ficando com 80% da sua fortuna no valor de 34 milhões de euros, avança o ‘Correio da Manhã’ (CM).

“Na abertura dessa conta, de forma a salvaguardar o arguido José Sócrates sobre os fundos que ali viessem a ser recebidos, foi feito constar que, por morte do arguido Carlos Santos Silva, 80% do saldo da conta seria de José Paulo Pinto de Sousa, atuando este na qualidade de fiduciário de José Sócrates”, pode ler-se no documento a que jornal teve acesso.

Esta prova será analisada no julgamento do processo ‘Operação Marquês’, no qual Sócrates está envolvido, e que terá lugar no Campus da Justiça, esta sexta-feira, dia 9 de abril. A esta juntam-se outras que sugerem também o envolvimento José Paulo Pinto de Sousa, nos fundos de Sócrates.

Segundo a acusação do Ministério Público, Carlos Santos Silva, Sócrates e José Paulo “acordaram que seriam concentrados nas contas de Santos Silva outros fundos que seriam recebidos como contrapartidas por atos do arguido José Sócrates”, dinheiro esse que vinha essencialmente do Universo BES, na altura liderado por Ricardo Salgado.

A decisão de levar ou não Sócrates a julgamento será tomada esta sexta-feira, altura em que o juiz Ivo Rosa irá conjugar os documentos apreendidos com as restantes provas já existentes, decidindo depois se valida o entendimento do procurador que imputou a Sócrates seis crimes, ou se defende o arquivamento de uma parte ou do todo do despacho de acusação.

Recorde-se que Sócrates está acusado de corrupção passiva para a prática de atos contrários aos deveres do cargo, fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais, falsificação, recebimento indevido de vantagem e tráfico de influências.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...