21 previsões para 2021 (e seguintes…)

Não sou um mago para adivinhar o futuro, mas se olharmos bem para os nossos comportamentos, conseguiremos certamente antecipar algumas tendências que nos ajudarão a estar melhor preparados. A melhor forma de crescer é tornar obsoletos os nossos próprios comportamentos. É o que esta visão desta década pode permitir, apesar de ser a minha visão, limitada e certamente não tão “iluminada” como a de alguns key opinion leaders. Mas aqui vai:

1.- A Digital journey será uma realidade com muitos de nós a ficarmos pelo caminho, por desadaptação: Do 2D ao 3D, do 4.0 para o 5.0, do 4G ao 5G;

2.- Comprar será mais simples com a realidade aumentada, e as compras digitais assumirão na década de 30, mais de 30% do mercado mundial, B2B e B2C;

3.- As relações sempre serão humanas, mas com um toque digital aumentado. A segmentação e a comunicação geracional desaparecerá, pois os  indivíduos da geração X (por exemplo) terão cada vez mais comportamentos típicos dos millenials, boomers, Z e vice versa, num “melting pot blended “ fabuloso. Serão a geração “Blended”;

4.- Home, car & office sharing como uma nova experiência social e um novo estilo de vida;

5.- O Remoto será a normalidade mas novas regras de planeamento e de cortesia serão criadas, de forma a não invadir o espaço digital dos outros;

6.- A família e o meio onde estamos inseridos (vizinhos por exemplo) serão a nova comunidade social e reduzirão a interação laboral onde muito da nossa vida social acontece agora;

7.- Until everybody safe, no one is safe. Portanto a erradicação da pandemia terá de ser global!;

8.- A saúde mental é a nova pandemia do século XXI (ansiedade, pânico, depressão, frustração, exaustão, burnout, etc.);

9.- O dinheiro vai começar a desaparecer e será cada vez mais eletrônico, passando as novas “coins” a ser reguladas pelas autoridades dos países de forma a evitar branqueamento de capitais, fundos para atividades ilegais e outras;

10.- Uma nova crise econômica começará em 2029 (financeira e económica; que começará no sector energético e no sistema bancário) após a recuperação desta crise sistémica originada pela pandemia, com a injeção de dinheiros públicos, que proporcionará um período de crescimento económico;

11.- Os medicamentos serão personalizados e o diagnóstico médico será maioritariamente automático, não envolvendo médicos mas algoritmos  (os médicos continuarão a ser fundamentais para confirmar o diagnóstico e resolver os casos mais graves). Novos atores como a Apple e a Google irão desenvolver esta tecnologia de forma exponencial. No entanto, uma nova pandemia biológica  certamente surgirá nesta década, devido aos comportamentos disruptivos que o ser humano tem. Embora a sociedade está melhor preparada para a enfrentar;

12.- Da globalização voltaremos à regionalização com protecionismo por blocos económicos;

13.- A economia será cada vez mais estatizada, pois o investimento público sobrepor-se-á ao privado;

14.- O poder dos governos será fortalecido para poder limitar mais os direitos individuais e coletivos, decorrentes dos extremismos políticos que crescem no mundo; será a troca da “segurança pela liberdade”. Mas emergirão novas formas de fazer política, muito mais baseada na sociedade e nos seus movimentos, que nos partidos políticos;

15.- Um diploma é uma “commodity”, portanto as pessoas têm que estudar por mais 10 anos depois de concluírem a sua licenciatura;

16.- As empresas destacar-se-ão pelo propósito que apresentam aos seus stakeholders internos e externos, como a eco-responsabilidade por exemplo;

17.- As cidades serão mais inclusivas e sustentáveis, mas “desertas” de habitantes. Estes preferirão optar por outros locais com outros pontos de atração, dado que deixam de ter obrigatoriedade das deslocações diárias pelo trabalho remoto e digital;

18.- O mundo VUCA é cada vez mais imprevisível, portanto as 2 competências mais valiosas de um trabalhador, serão a resiliência e a capacidade de adaptação (“copo meio cheio”);

19.- Equilíbrio entre rastro e privacidade digital será uma questão importante no futuro;

20.- As escolas têm de redefinir o seu modelo pois estão a ensinar 85% de crianças que vão ter um trabalho que ainda não existe. Desenvolver competências em paralelo com conhecimento!;

21.- O foco, na saúde, estará na prevenção muito mais que no tratamento. Pelo que os estilos devida mudarão. Não será uma decisão governamental mas um movimento social. As cozinhas das nossas casas passarão da simples preparação de refeições a locais de preparação de bem estar e saúde, eco-responsáveis e versáteis .

Por Nelson Pires, General Manager da Jaba Recordati

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...