11 de janeiro foi o dia com mais mortes deste século em Portugal: 633

Nos últimos meses têm sido atingidos muitos recordes, impulsionados em parte pela pandemia da Covid-19, mas o maior de todos aconteceu na segunda-feira, dia 11 de janeiro, quando se registaram 633 mortes diárias, o número mais elevado deste século, segundo o ‘Jornal de Notícias’ (JN).

Neste mesmo dia também se registaram 155 óbitos por Covid-19, um novo máximo, numa altura em que há oito dias consecutivos que Portugal tem mais de 500 mortes por dia, com o excesso de mortalidade a seguir uma tendência crescente.

Os  dados analisados pelo jornal têm por base o eVM – sistema de vigilância da mortalidade em tempo real, que registou, às 21 horas do dia 11 de janeiro, 633 óbitos num único dia, um aumento de 248 face à média do período 2009/2019.

Para além disso, segundo informações do Instituto Nacional de Estatística (INE) enviadas ao ‘JN’, foi possível observar que pelo menos desde o ano 2000 que este número não era tão elevado. O mais alto verificou-se a 2 de janeiro de 2017, com 572 mortes, motivadas pelo frio e pela gripe. Nesse ano o excesso de mortalidade fixou-se em 4467 óbitos.

Segundo a mesma publicação, ao analisar a mortalidade nos últimos 11 dias contabilizam-se 5733 mortes, das quais 74% remetem para pessoas com idade igual ou superior a 75 anos. Por sua vez, 19% dos óbitos foram causados pela Covid-19 no mesmo período.


Comentários
Loading...