1% dos super ricos americanos prestes a superar riqueza das classes média e alta

A expansão económica dos Estados Unidos na última década encheu os bolsos da elite norte-americana de tal forma que agora a camada que representa 1% da população possui um património quase equivalente à riqueza combinada das classes média e alta. Os dados são da Reserva Federal e estão a ser avançados pela “Bloomberg”.

Os mais ricos tinham, no segundo trimestre do ano, activos de cerca de 35,5 mil milhões de dólares, um pouco menos do que os 36,9 mil milhões de dólares de dezenas de milhões de pessoas que compõe entre 50% e 90% da população do país. Ou seja, não demorará muito até que esta camada de 1% supere as classes média e média alta.

De acordo com a agência, o património das famílias mais endinheiradas aumentou 650 mil milhões de dólares no segundo trimestre deste ano, enquanto grande parte dos norte-americanos ganharam 210 mil milhões de dólares. De fora destas contas ficou a base da pirâmide que representa 50% da população dos Estados Unidos. Essas famílias respondem por 35,7% dos passivos no país e por apenas 6,1% dos activos.

As taxas de juros explicam, em parte, esta situação, segundo Stephen Colavito, estratega-chefe de mercado da empresa de investimentos Lakeview Capital Partners. As pessoas não conseguem bons retornos com depósitos e outros investimentos passivos, por isso investem em acções e sustentam o mercado em geral, explicou.

Por sua vez, estes investimentos tornam os mais ricos elegíveis para investir em hedge funds e fundos de private equity exclusivos, muitos dos quais exigem um mínimo de cinco milhões de dólares. Na prática, «quanto mais ricos são, mais oportunidades têm», resume Colavito.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda